domingo, abril 01, 2007

Corre, corre, cabacinha

Hoje temos duas versões do mesmo conto, com desenlaces diferentes: A velha e os lobos.
A versão escrita, recolhida em Coimbra, é da responsabilidade de Adolfo Coelho, incluída na antologia Contos populares portugueses, pp 95-96, Publicações Dom Quixote, 7ª edição, Lisboa, 2002.
A versão video, recolhida no Baixo Alentejo,
(onde deixo aqui o link) é da responsabilidade de José Barbieri, Cristina Taquelim e Marta do Ó.
A contadora, tão expressiva, é a Dona Olívia Brissos.
Agora quero tudo "tira-tira beque-beque" que vamos contar um conto:

A velha e os lobos

Uma velha tinha muitos netos, um dos quais estava ainda por baptizar. Um dia a boa velhinha saiu a procurar um padrinho para o seu netinho e no caminho encontrou um lobo, que lhe perguntou:
" -Onde vais tu, velha?"- ao que ela respondeu:
"-Vou arranjar um padrinho para o meu neto."
"-Ó velha, olha que eu como-te!"
"- Não me comas que quando se baptizar o meu menino, dou-te arroz-doce."
Foi mais adiante e encontrou outro loboque lhe fez a mesma pergunta e ela deu-lhe a mesma resposta. Depois encontrou um homem que lhe perguntou o que ela ia fazer e, como ela lhe respondesse que ia procurar um padrinho para o seu neto, ele ofereceu-se logo para isso. Depois a velha contou-lhe o encontro que tinha tido com os lobos e o homem deu-lhe uma grande cabaça e disse-lhe que se metesse dentro dela que assim iria ter a casa sem que os lobos a vissem. A velha meteu-se na cabaça e esta começou a correr, a correr, até que encontrou um lobo que lhe perguntou:

"- Ó cabaça, viste por aí uma velha?"
"- Não vi velha, nem velhinha;
Não vi velha, nem velhão;
Corre, corre, cabacinha
Corre, corre, cabação."
Mais adiante encontrou outro lobo que perguntou também:
"- Ó cabaça, viste por aí uma velha?"
"- Não vi velha, nem velhinha;
Não vi velha, nem velhão;
Corre, corre, cabacinha
Corre, corre, cabação."

A velha, julgando que já estava longe dos lobos, deitou a cabeça fora da cabaça, mas os lobos, que a seguiam, saltaram-lhe em cima e comeram-na.


Versão do conto A velha e os lobos, recolhida na região de Coimbra

3 comentários:

Anónimo disse...

obrigado Tania, pela divulgação do MEMORIAMEDIA
no principio da semana teremos novas histórias, recolhidas em Miranda do Douro
até à proxima
José Barbieri@sapo.pt

tânia disse...

Que emoção! José Barbieri, ele próprio aqui no blog!!
Obrigada pelos que já podemos provar,agora estou (estamos!) ansiosa pelas de Miranda!
Até breve!

Anónimo disse...

espectáculo !